Sobre Mim

Sandra May

20210731_144148-01-01.jpeg

Agora sim! Uma página inteira para vos falar de mim!

Vou tomar a liberdade de vos falar com total informalidade, ok? Tragam pipocas! :)

Quem sou eu?

Hmmm… uma pergunta tão simples, e uma resposta tão complexa.

 

O nosso percurso de vida marca-nos, e transforma-nos em quem somos hoje. A vida é uma sucessão de dias, e cada dia é construido sobre o anterior, como os tijolos de qualquer palácio lindo e maravilho, certo?

 

Não! A vida assemelha-se mais àquele jogo do… como se chama… Hmmm… Jenga! Num dia tudo está a correr bem, exatamente como planeaste e como sempre sonhaste, mas porque o vento decidiu soprar um pouco mais forte e de noroeste, pimba! Cai tudo no chão e temos de começar de novo.

 

Hoje tenho 27 anos (16 de maio de 1994, Touro! Whoo-Hooo!) e acho que ainda não encontrei ninguém que tenha começado este jogo mais vezes do que eu. Conseguem imaginar alguém com mil e uma profissões, planos ou projetos? THAT'S ME! Prazer.

Durante o ensino secundário decidi que não queria mais ir para a faculdade de direito para me tornar advogada (a profissão que queria ter desde os meus 10 anos), mas sim… formar-me como bailarina. E voilà! Comecei novamente o ensino secundário como aluna (a mais velha) da Escola de Dança Ginasiano. Terminei o curso e até obtive uma carta de recomendação. Dancei em vários palcos e as palmas alimentavam-me — como adorava sentir o chão do palco e ouvir aquele aplauso final — mas era uma vida muito preenchida e também muito atribulada. 

Pois bem, o que decidiu então a Sandrinha? Exatamente! Vamos lá para a faculdade! Inscrevi-me em Criminologia, talvez porque sonhei com isso ou devido a alguma série na televisão policial… não sei. Consegui bolsa de estudo, adorava o curso, tinha boas notas… Estava tudo a correr bem! Não sei onde fui arranjar tempo, mas sempre que surgia uma oportunidade voltava aos palcos, dava aulas de dança, aulas de yoga, e até trabalhei numa empresa de catering para ajudar a pagar os livros! Bem, saí no final do segundo ano. Porquê? Alguém disse que jamais iria ter emprego na área da criminologia, em Portugal. Parece-me uma decisão bem ponderada e analisada em profundidade, sim senhor!

 

Abandonei tudo e voei para as Caldas da Rainha. Decidi que queria uma carreira militar, talvez por causa de alguma cadeira sobre explosivos ou balística. Mais uma vez, sublinho que foi uma escolha conscienciosa e perspetivada de uma forma holística. Certo… Continuando! Entrei no Curso de Formação de Sargentos em 2017 e foi, sem dúvida alguma, um dos melhores períodos da minha vida.

 

O tempo foi passando. Por diversas circunstâncias, ingressar nos quadros permanentes deixou de fazer sentido para mim e, quase como uma forma de terapia, voltei a ressuscitar o hábito de escrever. Sempre escrevi em diários, e foi quando deixei de o fazer que comecei a sentir que não estava a cuidar tão bem de mim mesma, emocionalmente. Em 2019, o projeto "meninaescrivaninha" no Instagram nasceu neste contexto (agora é o meu perfil pessoal, renomeado para "saandramay"), em que muitas frases e textos foram escritos nas horas vagas. Larguei a instituição militar em 2020.

 

A escrita tem este poder: limpa emoções, ou pode criá-las, seja em nós ou nos outros. A escrita limpou-me a alma como a água limpa o corpo. Voltei a apaixonar-me por mim, pela escrita, e reconstruí-me de novo. Mas… com um novo propósito: em vez de questionar o que tem o mundo para me dar, eu questiono o que posso dar ao mundo. É isso que um escritor faz. É isso que torna a obra eterna.

Por isso, hoje sou escritora, continuo a dar aulas de dança e yoga, descobri também o teatro, e vivo com uma enorme certeza de que todo este meu percurso, sinuoso mais valioso, deu-me, acima de tudo, toda a inspiração que preciso para poder inspirar os outros a seguir os seus sonhos. Talvez, este tenha sido sempre o meu sonho.

E vocês, quem são?

Com amor,

- Sandra May