7 Razões para NÃO ter um beagle!



Os meus pais não deveriam ter-me deixado ver tantas vezes Dama e o Vagabundo. Desde então que ganhei um fetiche por coisas fofas e de orelhas grandes. Mas depois de ver o filme Como Cães e Gatos, senti-me como uma criança a ver anúncios de brinquedos na época de Natal.


Todos os anos implorava dramaticamente por um cão igualzinho ao do filme, e ainda nem sabia o nome da raça. Nunca o recebi. Esperei que a infância passasse, apenas para começar a ser o Pai Natal de mim mesma, e finalmente pude conquistar este meu sonho de pequenina.


Mesmo antes de ter mobília em casa, já andava a limpar cocó de Beagle no chão da sala! Mas cocó todos fazem, e acreditem: esta não é uma das razões que vos trago hoje. Não. A lista que vos trago transcende todo o tipo de necessidades fisiológicas. Não se deixem enganar pela sua fofura! Eles sabem que o são, e vão usar isso contra vocês TODOS OS DIAS!


Senti-me enganada, traída, tal como quando descobri aos meus 12 anos que o Pai Natal não existia. Era só um tio gordo com um fato comprado à pressa numa loja dos chineses! Nunca pensei que a minha Beagle pudesse estar no mesmo pacote de deceções! Pergunto-me muitas vezes se este não veio com defeito. Será?


Imaginei que correríamos juntas nos jardins mais verdes em câmara lenta, como se estivéssemos no filme Música no Coração. Imaginei que dormiríamos todas as noites abraçadas e fosse acordada com beijinhos pela manhã, ao som dos passarinhos e com o sol a espreitar por entre as persianas de uma janela semiaberta que deixava passar uma leve brisa fresca que movimentava suavemente os cortinados suspensos. Imaginei longas tardes de brincadeira a jogar à apanhada e ao “busca”. Mas não. O Beagle é o tipo de cão que só vai buscar uma vez. O resto é jogar à apanhada! E quem corre atrás de quem é óbvio.


Fui aprendendo que os Beagle são pequenos demónios com muito boa aparência. Uma pequena pesquisa na Internet deu-me esta confirmação, em especial quando me deparei com um anúncio no OLX com a seguinte descrição: “Dá-se Beagle. Por razões pessoais”. Afinal, não fui a única burlada no mundo!


Razão #1 – Latem muito. DEMASIADO!

Lembram-se das noites a dormir juntas? Isso num dia de chuva no Inverno até resulta bem. Aliás, muito bem! Mas assim que começa a ficar habitável fora de casa, lá vai a orelhuda latir como se não houvesse amanhã. Ora passa uma mosca e não a consegue apanhar. Ora lhe apetece começar a expressar o seu pensamento com quase palavras uivantes. Se são amigos dos vossos vizinhos, não pensem que a vossa relação vai durar por muito mais tempo. Afinal de contas, quem gosta de passar noites em branco por causa do cão do vizinho? No entanto, se já tiverem feito arqui-inimigos, o Beagle é uma ótima aquisição!


Razão #2 – Passeá-lo é um pesadelo!

Passear juntas nos mais belos jardins? Passear sim. Juntas, não! Enquanto está com a trela, não avança 30 centímetros sem farejar tudo o que tem cheiro. Posso puxar. Posso empurrar. Posso assobiar. Posso até oferecer o meu colo e comida. Ela só vem quando cumprir a sua missão no mundo das fragrâncias caninas. E quando a solto? Os touros do rodeio parece que tomaram Xanax comparado a ela. Ela arranca como um foguete e se eu quiser que vá a correr atrás dela. Não espera por ninguém. Torna-se a Dora Exploradora e eu fico-me pela personagem do macaco!


Razão #3 – Especialista em gastronomia fétida!

Come qualquer coisa. O Beagle não é esquisito. Come de tudo e ainda se queixa com fome assim que acaba de comer a esquina da parede ou a perna da cadeira. Mas a iguaria favorita é algo mais requintado como … as fezes de outros animais. Pois, não percebo. Imaginem eu estar a passeá-la, ou melhor, eu desesperada a correr atrás dela, quando de repente ela pára e lá vou eu ter ao seu encontro completamente ofegante, agradecendo a Deus ou a algum resto de comida no chão por tê-la feito parar. Quando vejo o porquê, não é de todo um milagre. Primeiro sou bofeteada por um cheiro incómodo e, assim que me baixo para a agarrar, ela volta-se para trás a sorrir com os seus ricos dentes brancos agora totalmente castanhos. Pior, tinha papel higiénico a sair pelo canto da boca (seria humano???). Pior, começou a mascar violentamente aquele Snickers quando pressentiu que lhe ia retirar o prémio da boca. Pior, fugiu para o meio da multidão enquanto eu gritava em desespero o nome dela. Digo-vos, é dos momentos mais vergonhosos que tenho. Todos os donos a passear os seus cães doutores que mais parece que tiveram aulas de etiqueta, e eu ali, a tentar apanhar uma selvagem que fugia de mim com uma sandes de cocó na boca.


Razão #4 – São (MUITO) interesseiros!

Jamais iria pensar que a minha menina de 4 patas pudesse ser tão interesseira. Em casa, morde, ladra, resmunga e ainda desafia. Mas quando vamos ao veterinário? Ui, a conversa muda logo. Abraça a Doutora. Dá beijinhos carinhosos. Lambe a mãozinha e ainda dá a patinha como forma de prestar atenção à veterinária e tudo isto para quê? Porque a menina recebe uns biscoitos chiques e sabe como obtê-los. Faz aqueles olhinhos encantadores iguais ao gato das botas do Shrek, deita-se de costas a pedir uma festinha na barriguinha, coloca-se de pé em equilíbrio com uma expressão de sem-abrigo e … ninguém resiste! Nem uma pessoa que estudou medicina veterinária durante anos! Eles não dão psicologia animal? «É mesmo um amor esta cadelinha!», diz a Doutora encantada, e eu o que faço? Sorrio para a veterinária como se ela fosse sempre assim, e faço um olhar incrédulo à pequena impostora. A sério, aquele feitiço resulta mesmo, de tal modo que muitas das consultas foram gratuitas!


Regra #5 – É INCANSÁVEL!

Tinha lido que os Beagle eram cães extremamente divertidos e com uma energia contagiante. São de facto muito brincalhões (principalmente com crianças) e chegam mesmo a ter um corpo digno de um atleta de alta competição. Parecem pequenos touros com o peito para fora. No entanto, eu ando constantemente cheia de dores musculares. Porquê? Porque nem a pilha duracell dura tanto tempo! Esta pilha que tenho cá em casa é infinita e impossível de esgotar. Eu corro. Eu atiro coisas. Eu escondo coisas. E para quê? Para acabar a dormir no sofá completamente de rastos. E sabem como está a minha fofinha? Exatamente. A correr no quintal à espera que eu recupere forças milagrosamente. Não é normal! Se por algum motivo conseguirem cansar um Beagle, é porque vocês morreram de exaustão. Confiem no que vos digo: BEAGLE NÃO PÁRA! Beagle é a maior inspiração da Galp: «Energia cria energia».


Regra #6 – Destruidores!

Nunca pensei que uma coisa tão pequena fosse capaz de causar tanta destruição. É verdade. Cedo soube que não valia a pena oferecer nada a este bicho. A fera dormia no chão enrolada em mantas. Não passava frio nenhum, no entanto, eu, cheia de pena e movida pelo amor, encomendei a caminha mais confortável que estava disponível. Uma cama toda enfeitada com corações e cores de menina, tão confortável que se houvesse para tamanho de humanos quem dormia enroladinha lá era EU! Esperei tão ansiosamente por esta encomenda. Mal podia esperar para a princesa estrear os seus novos aposentos! Estava, naturalmente, mais entusiasmada que ela. Primeira manhã: a confortável cama tinha-se transformado num mar de algodão. Voltou logo para as mantas. Desta vez, SEM PENA! A esta cama podem-se somar vários pares de chinelos, roupa interior com uma tendência mais acentuada para meias sujas, tupperwares, tapetes e, como seria de esperar: rolos de papel higiénico.


Regra #7 – Mestres na arte da fuga!

Como vos irei dizer isto sem atacar a vossa sensibilidade? Estão a ver as redes recheadas com arame farpado nos famosos filmes de Hollywood quando o cenário escolhido é uma prisão? Já imaginaram? Não? Ok, imaginem Auschwitz (eu tentei não atacar a vossa sensibilidade!). Imaginem algo desse género. A minha casa é tipo isso, algo assim com pinta de prisão! A fugitiva saltou muro e ainda mal sabia correr. Coloquei rede à volta da casa. A Michael Scofield treinou barras durante uns dias e não tardou a aprender a fazer escalada pela rede acima! A especialista em salto à vara sem vara acabava sempre por ser encontrada do outro lado. Até árvores cortei por estarem muito perto do muro. O Jackie Chan encarnou na cadela e pimba! Sempre lá fora! Mesmo quando fica fechada em casa, arranja maneira de sair pela janela! Basta sentir o ventinho na fuça! Por algum motivo ela ganhou um supertalento na arte da fuga. Hoje, com uma segunda rede inclinada para dentro e por cima da outra, creio que não consiga mais pular a cerca. Mas começo agora a ver muitos buracos junto ao muro… serão túneis???


CONCLUSÃO: Os Beagle são lindos. Ponto final! Apenas vos aconselho a ter um se estiverem cansados de estarem bem, sem preocupações, estão a perceber? Porque assim que adotarem um … meus amores, aventura vai ser uma das pequenas palavras que vão introduzir nas vossas vidas.


Se já tens esta espécie canina em casa… manda mensagem e vamos criar um grupo de apoio para ultrapassar os traumas juntos, sim?



Lamúria de SANDRA MAY

34 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo